00:00
17° | Poucas Nuvens

Viagem em duas rodas
Atravessar estradas latinas com sua motocicleta é o hobby preferido do comerciante Roberto Rossmarck Schramm

Na viagem deste ano para Colônia Del Sacramento, no Uruguai, Roberto pode conferir paisagens inesquecíveis (Foto: Acervo Pessoal)

Publicado em 06/12/2016

Da redação

A atração por motos e a vontade de conhecer lugares diferentes faz com que, todos os anos, o comerciante Roberto Rossmark Schramm, 57 anos, escape das obrigações do dia-a-dia para cair na estrada. A paixão por andar em duas rodas já possui uma história de mais de quatro décadas. Roberto usa a motocicleta praticamente todos os dias para trabalhar e também para lazer. “Eu viajo pelo prazer de pilotar e conhecer novos lugares ou rever algum em que já estive. As viagens são quase sempre para o sul da América Latina, com lindas paisagens e estradas menos movimentadas. São ótimas para aliviar o estresse”, resume.

A próxima grande aventura de Roberto com sua BMW GS 1200 será até o Ushuaia, no sul da Argentina, em novembro de 2017. “Lá faz muito frio, então é melhor ir no verão. Vamos enviar as motos de caminhão até Bariloche, pois já conhecemos todos estes trechos”. A intenção é ganhar tempo, já que nem todos os seus companheiros de viagem – o irmão e dois amigos –, dispõem de tempo livre para percorrer tantos quilômetros.

Os parceiros motociclistas se reúnem ocasionalmente para organizar e fechar o roteiro da viagem. “Cada um vai dando alguma dica, mas nada muito fechado. Mudamos o roteiro durante a viagem se for melhor”, conta. Para Roberto, o próprio planejamento da viagem é algo prazeroso, pois é um momento em que eles conseguem descansar a mente e sair da rotina. “Pilotar uma moto é uma atividade de muita concentração. Enquanto se está pilotando não se pensa em mais nada. Outro privilégio é observar os lugares, sentir o cheiro das coisas e as mudanças de temperatura”, confessa Roberto.

Confira algumas fotos das viagens:

Os sentimentos, de acordo com ele, são diferentes de uma viagem de carro ou de avião. “Além disso, existe a camaradagem entre os amigos e também se conhece muitas pessoas. É um momento único para se fazer novas amizades”, conta.

Outras jornadas

Em novembro deste ano, o grupo de apaixonados por duas rodas fez uma viagem de oito dias pelo Uruguai. Foram 3,4 mil km, passando por Paysandu, Colônia del Sacramento, Montevidéu, Punta del Leste, La Paloma, La Pedreira e Punta del Diablo. “Passamos por várias praias do litoral do Uruguai. Foi uma viagem curta, mas muito gratificante. As paisagens eram lindíssimas. Conhecemos bons restaurantes e vinícolas”. Outra viagem marcante foi uma de 7 mil km, em 2015, quando eles saíram de Rio Branco, no Acre, para o Peru, passando da Amazônia para os Andes peruanos, com Cusco, Machu Picchu e Nasca. “Conhecemos o Chile, com passagem por San Pedro de Atacama, Sauta, na Argentina, e voltamos pelo Rio Grande do Sul”, lembra.

Cuidados

Roberto lembra que a segurança está ligada à forma que a pessoa pilota sua moto. “O mais importante, na minha opinião, é estar concentrado e manter o foco”. Além disso, de acordo com ele, é necessário usar equipamentos de boa qualidade e manter a manutenção da motocicleta em dia. Além da BMW GS 1200, o comerciante possui outras três motos: a CB 300, que foi modificada para exposições, e outras duas Ducati Monster (2006 e 2015).