00:00
19° | Poucas Nuvens

Conversa franca
Especialista alerta para o diagnóstico precoce da endometriose

Cólica constante no período menstrual é sinal de alerta para a doença (Foto: Reprodução)

Publicado em 23/05/2017

É difícil para uma mulher querer engravidar e não conseguir. E muitas vezes, é a endometriose que impede a fecundação. A doença afeta, principalmente, mulheres em idade reprodutiva e pode causar infertilidade devido à produção de substâncias inflamatórias que influenciam nos processos de ovulação, fertilização e implantação do embrião. Em muitos casos, ela é assintomática e não é possível perceber que o organismo está sendo prejudicado. No entanto, cólica constante no período menstrual é um sinal de alerta.

De acordo com o médico ginecologista Ricardo Nascimento (Clínica Fecondare), a maioria das mulheres só descobre a doença quando está tentando engravidar e não consegue, algumas delas, muitos anos após sentir os primeiros sintomas. “A endometriose é responsável por boa parte dos casos de infertilidade feminina, mas não é a única causa da dificuldade para ter um bebê”, destaca o médico.

A doença surge quando as células do endométrio passam a migrar para outros locais, como os ovários, as trompas e a cavidade abdominal, ao invés de serem expelidas pela menstruação, provocando uma reação inflamatória. Os focos de endometriose, como são chamados, também podem estar presentes no peritônio (tecido que recobre todo o interior da cavidade abdominal), no intestino, na vagina e na bexiga.

Por mais qualidade de vida

Para detectar a endometriose precocemente é essencial que o ginecologista saiba ouvir as queixas da paciente. Os principais relatos são de dor no período menstrual, sintoma que aumenta gradativamente com o decorrer do tempo. Progressivamente, mulheres com endometriose têm, a cada ano, de aumentar a dose do analgésico que tomam para aliviar a dor quando estão menstruadas. Uma conversa franca entre paciente e médico é essencial para que ele compreenda os sintomas e tenha mais certeza sobre seu diagnóstico. “Quanto mais cedo a mulher for diagnosticada, mais cedo poderá ser oferecido um tratamento que devolva sua qualidade de vida. Por isso é importante também que os pais fiquem atentos às suas filhas adolescentes que apresentem cólicas muito fortes”, alerta o médico Ricardo Nascimento.

O convívio diário com a dor pode levar as pacientes a uma sensação de incapacidade de fazer qualquer coisa, o que, somado a outros sintomas da doença, pode tornar o dia a dia muito mais difícil e exaustivo. Uma avaliação e percepção médica adequadas já permitem intervir para que a doença não evolua e não comprometa a capacidade de engravidar.

Clínica Fecondare
Rua: Menino Deus, 63 Sala 302. Baía Sul Medical Center – Centro
Fone: 3024-2523
www.fecondare.com.br


Sobre o autor

Dr. Ricardo Nascimento

A clínica Fecondare é especializada em métodos de fertilização e reprodução humana


Ver outros artigos escritos?