00:00
21° | Nublado

Transporte integrado
Primeira etapa da proposta da Rede Integrada de Transporte Coletivo Metropolitano de Florianópolis foi concluída

A proposta apresentada ainda está aberta a sugestões. Todas serão avaliadas pelas equipes da Suderf e da UFSC, em conjunto com as prefeituras (Foto: Rosalia Pessato / Suderf)

Publicado em 07/11/2017

Entre agosto e outubro deste ano, centenas de moradores, gestores públicos, empresários e estudantes participaram das audiências sobre a proposta da Rede Integrada de Transporte Coletivo Metropolitano. A intenção do projeto é racionalizar o sistema de transporte que hoje se caracteriza pela sobreposição de linhas municipais com intermunicipais da região da Grande Florianópolis. A proposta foi apresentada pela Superintendência de Desenvolvimento da Região Metropolitana da Grande Florianópolis (Suderf) em Águas Mornas, Antônio Carlos, Biguaçu, Governador Celso Ramos, Florianópolis, Palhoça, São José, São Pedro de Alcântara e Santo Amaro da Imperatriz.

Além da racionalização do transporte, o projeto da Suderf, com apoio técnico do Observatório da Mobilidade Urbana da UFSC, propõe reforçar serviços locais e municipais; facilitar as conexões entre as centralidades da área continental da região metropolitana (Centro de Palhoça, de Biguaçu, Kobrasol e Campinas); e melhorar a abrangência territorial da rede de linhas. Também serão criados itinerários dentro dos municípios que melhorem a mobilidade entre os bairros, além de aumentar a frequência dos ônibus para áreas de grande demanda, a exemplo da região de Kobrasol/Campinas em São José, que é o segundo ponto que mais atrai pessoas na Grande Florianópolis.

“Os resultados dessa primeira fase foram muito bons, não só dos prefeitos e suas equipes técnicas que avaliaram a proposta bem como da população que participou das nossas reuniões. A partir de agora vamos elaborar o edital de toda parte correspondente do que virá a ser um contrato de concessão”, explicou o superintendente da região metropolitana da Grande Florianópolis Cassio Taniguchi. A previsão é de que o edital seja lançado ainda em 2017, uma vez que há pressão dos órgãos de controle Ministério Público e Tribunal de Contas para uma licitação nova - todas as concessões na região metropolitana, com exceção de Florianópolis, estão vencidas.

PRÓXIMAS ETAPAS

O edital de licitação no novo sistema de transporte metropolitano será apresentado em três audiências, reunindo os municípios das regiões sul (Águas Mornas, Palhoça e Santo Amaro da Imperatriz), central (São José e São Pedro de Alcântara) e norte (Antônio Carlos, Biguaçu e Governador Celso Ramos) da Grande Florianópolis. Depois disso, o documento ficará disponível para consulta pública por 30 dias e então será encaminhado para o Tribunal de Contas do Estado.

A segunda fase do projeto refere-se à infraestrutura viária, com implantação de faixas exclusivas de ônibus e corredores para BRTs (Bus Rapid Transit) na Grande Florianópolis. A Suderf prevê ainda construção de terminais de integração em Biguaçu, São José e Palhoça, implantação do Sistema de Inteligência Operacional (ITS) e Centro de Controle Operacional (CCO) para supervisionar toda a operação do BRT, por meio de parceria público-privada.

 

Da Redação