00:00
21° | Nublado

Reparo dos danos
Para recuperar estragos causados pela ressaca, Deinfra realiza obras emergenciais no Sul da Ilha

Para recuperação da SC-406, foram investidos R$ 74 mil, e o prazo para conclusão é de até 30 dias (Foto: James Tavares/Secom)

Publicado em 26/10/2017

As obras emergenciais para minimizar os danos causados pelo avanço da maré na rodovia SC-406, no Sul da Ilha, em Florianópolis, estão dentro do cronograma, de acordo com o Departamento de Infraestrutura de Santa Catarina (Deinfra). No final do mês de setembro, o trecho da rodovia SC-406, na Praia do Caldeirão, entre o Morro das Pedras e a Armação, foi atingido pela ressaca e corria risco de desabamento. Para minimizar esses efeitos, o Deinfra realizou ações como a contenção da encosta com pedras.

 “Hoje recebi o relatório de andamento dos trabalhos e acredito que, em menos de 15 dias, será entregue a obra de proteção da rodovia. É bom deixar claro que não é recuperação da praia e, sim, a proteção da rodovia”, explicou o presidente do Deinfra, Wanderley Agostini. Ele conta que a obra era emergencial e por isso houve dispensa de licitação “Com a maré alta, houve o risco do mar chegar até a rodovia, mas não atingiu a pista. Houve somente algumas rachaduras no acostamento”, concluiu.

RESSACA

Do ponto de vista de prejuízos, o Norte da Ilha foi a região que mais sofreu com o avanço da maré, por ser mais urbanizado e possui mais atividade comercial e turística. No Sul da Ilha, o problema foi o risco de desabamento da estrada.  A Defesa Civil de Florianópolis realizou um estudo para avaliar os prejuízos causados pela ressaca e numa primeira estimativa, o valor chegou a R$ 4 milhões, com limpeza das praias, engordamento da faixa de areia, reconstrução de decks, calçadas, rampas de acesso, postos de salva-vidas e restabelecimento de postes de iluminação pública que foram danificados pelo fenômeno.

 

Da Redação