00:00
21° | Nublado

Alerta para a saúde masculina
Anualmente, a campanha chama a atenção para a prevenção do câncer de próstata e incentivar os homens a manterem consultas de rotina com urologista

O Dia Mundial de Combate ao Câncer de Próstata é celebrado dia 17, mas a proposta do movimento é que o tema seja lembrado e discutido durante todo mês. Instituições como a FCDL/SC aderiram à campanha (Foto: Divulgação)

Publicado em 07/11/2017

Da Redação

Após um mês inteiro dedicado às ações de prevenção do câncer de mama, o chamado Outubro Rosa chegou a vez de alertar sobre a saúde dos homens e o câncer de próstata. Criado em 2003, o Novembro Azul chama atenção para a importância da prevenção contra este tipo de câncer, que é o segundo tipo de tumor mais comum entre os homens. A estimativa do Instituto Nacional do Câncer (Inca) é de que 68,8 mil novos casos de câncer de próstata sejam detectados este ano no país.

O movimento ainda não tem programação tão intensa quanto o Outubro Rosa, mas a atenção para o tema deve ser de igual importância. Por falta de informações ou mesmo preconceito, grande parte dos homens não têm o hábito de cuidar da própria saúde. Assim, o Novembro Azul tem grande significado, já que o câncer de próstata é a doença que mais acomete o homem (excetuando-se o câncer de pele não melanoma), e é a segunda causa de morte por câncer na população masculina, atrás apenas do câncer de pulmão.

Dados da Diretoria de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina revelam que a taxa de mortalidade por tumores malignos foi sempre maior entre os homens, representando em média 58% do total. Os tumores se manifestam com mais frequência em pessoas com idade entre 60 e 79 anos. O câncer de próstata passou de terceiro lugar entre 2000 e 2005, para o segundo mais comum entre 2010 e 2012. A taxa de mortalidade, que era de 8,8% em 2000, subiu para 11,6% em 2012.

"Infelizmente, hoje em dia dois em cada dez pacientes com câncer de próstata são diagnosticados em fases mais avançadas da doença, o que torna o tratamento mais difícil", pondera o urologista Rafael Buta, da Aliança Instituto de Oncologia. O médico afirma que apesar da gravidade, a maioria das vezes a doença tem instalação e desenvolvimento lento. Nas fases iniciais o paciente não apresenta sintomas relacionados ao câncer de próstata, porém com o passar do tempo, o tumor cresce e pode ocasionar sangramentos, obstrução do jato urinário e dor na pelve. Em fases mais avançadas, as células malignas podem espalhar-se pelo corpo, causando lesões nos ossos, pulmões e outros órgãos. Apesar disso, a chance de cura chega a 90%  quando diagnosticado precocemente.

De acordo com o médico, a principal forma de prevenir o câncer de próstata ainda é com detecção precoce da doença. Exames iniciais como dosagens do PSA (sigla em inglês para Antígeno Prostático Específico) e o exame físico da próstata são fundamentais. "Quando a próstata sofre algum dano, seja ele decorrente de inflamação, infecção, crescimento benigno ou surgimento de câncer, o PSA é detectado em valores mais altos no sangue", exemplifica Rafael.

PREVENÇÃO

 A Sociedade Brasileira de Urologia indica que os homens façam uma avaliação anual a partir dos 50 anos e aqueles que têm casos de câncer de próstata na família ou sejam negros devem iniciar os cuidados aos 45 anos. Há sintomas que podem indicar a doença como obstrução urinária e outras disfunções do aparelho urinário. Se o exame PSA e o exame físico estejam alterados, o urologista solicita uma biópsia da próstata. Nesse procedimento são retirados fragmentos da glândula e analisados pelo patologista. Somente assim é possível afirmar com certeza o diagnóstico de câncer de próstata.

CAMPANHA

Para destacar a visibilidade da campanha em novembro, a FCDL/SC incentivou as CDLs e associados a decorarem seus comércios, ambientes, vitrines e fachadas com motivos de cor azul ao longo de todo o mês. E todos abraçam a campanha. O azul aparece como ornamento, confecção de laços e camisas, nos enfeites que remetem e promovem a iniciativa.

Diferente do Outubro Rosa, que é difundido desde os anos de 1990 e tem engajamento de vários setores da sociedade e uma associação específica para promover ações e campanhas de prevenção no Estado, o Novembro Azul ainda caminha a passos mais lentos. Mas alguns prédios públicos, como o da Secretaria de Estado da Saúde, em Florianópolis, serão iluminados de azul durante todo o mês para lembrar a prevenção.